do It. sbozzo s. m., delineação inicial de uma pintura, escultura ou desenho; bosquejo; fig., resumo; sinopse.

19.11.06

Incitou-o uma vontade súbita de escrever de cinzelar no papel a memória do que era tentando deixar de ser quem fora um dia. Um dia talvez de sol ou talvez não... um dia feliz. E sem porquês ou assuntos esculpia no níveo deserto do papel traços ordenados como a melodia espontânea de um rio. Um rio de tinta que lhe traz vida que lhe dará um tempo bafiento e breve. Para que o vejam e leiam. Para que bebam da fonte e se entreguem a sonhos, histórias, vidas, horror, ao êxtase, à saudade e a tudo o que a escrita consegue ou não ser. Para que um dia que nasça mais feliz alguém o veja para além dos olhos não se limitando a ler palavras. E para lá do tempo esculpiu a memória na palidez da folha. Criou com gestos de magia um quadro de letras uma pintura inimitável a verdadeira estampa:
- o inebriante retrato de uma alma…

3 comentários:

tesha disse...

O melhor local de o ver, não é nos seus escritos - embora esses a façam sonhar - mas sim bem fundo nos seus olhos... Esses sim mostram a alma!

Sari disse...

desculpa mas...

f*da-se! q retratas os traços da alma com a beleza q vai alem d si própria.

* :)

Anónimo disse...

*****

..gosto[d td..:)]

regards::.

riscos