do It. sbozzo s. m., delineação inicial de uma pintura, escultura ou desenho; bosquejo; fig., resumo; sinopse.

18.9.06

Escolho perder-te ou não escolho e perco-te apenas. Ou não te perco. Talvez por nunca te ter tido talvez por te ter para sempre. E moro neste tempo que me gasta e se gasta. Que passa talvez por capricho talvez por ter que passar. Que passa disfarçado num tic-tac ininterrupto e ritmado numa dança infinita de ponteiros e pêndulos no cantar horário de cucos nas rugas profundas do ancião num girar de mundos e estrelas. Num acender e apagar de luzes e cores. E passa na sua aparente eternidade. Tão eterna como a tua ausência. Tão aparente como a multidão. E vivo numa aparência eterna. E eternamente aparento viver e vivo-te na ausência do tempo no dançar das estrelas…

2 comentários:

Sari disse...

:) muito bonito.

*

Ana disse...

"Se tanto me dói que as coisas passem/ É porque cada instante em mim foi vivo..."

Uma palavra da Sophia e um beijo meu ainda desinspirado...